Reclamar pra quê?

“Hoje está muito quente.”

“Hoje está muito frio.”

“E essa chuva que não para?”

“Nosso time, ein? Ta complicado.”

“Trabalho demais. Preciso descansar.”

“Estou ficando muito a toa. Preciso de alguma atividade.”

A lista de reclamações clichês é infinita. Seja para puxar assunto no elevador, por hábito ou por simplesmente ser uma pessoa chata. Estamos sempre reclamando de alguma coisa. Na maioria das vezes reclamamos sem pensar, simplesmente condicionados a fazer este tipo de comentário negativo.

Reclamões de plantão

Eu não sei bem o que se passa na cabeça dessas pessoas que “reclamam demais”. A impressão que tenho é que elas precisam dar alguma emoção e sentido à própria vida.

Parece que a tendência é: quanto menos problemas a pessoa tem, mais ela reclama no dia a dia. Todos temos nossos problemas, dificuldades na vida. Mas é extremamente irritante conviver com alguém que passa a maior parte do tempo esta reclamando ou se lamentando. Na maioria das vezes por motivos “idiotas”. Além de trazer negatividade a tudo que a pessoa faz, mesmo sem querer, acaba afetando nosso humor e nos lembrando dos nossos problemas, quando na verdade estamos tentando esquecê-los ou resolve-los.

Não sei você, mas eu me sinto muito melhor quando vejo alguém que, mesmo com várias dificuldades na vida, não reclama de nada, carrega um sorriso no rosto e consegue aproveitar as pequenas coisas boas da vida. Não precisa procurar muito para encontrar alguém que perdeu tudo em algum desastre natural mas esta com um sorriso estampado no rosto, ou alguém que esta com alguma doença terminal e mesmo assim consegue rir e ser feliz. Claro que em algum momento esta pessoa estará triste, vai chorar, lamentar, reclamar. Mas na essência, no dia a dia, ela consegue perceber e aproveitar as coisas boas sem se lamentar.

Reclamar trava sua vida

Existem dois tipos de reclamação. Temos aquelas que fazemos sem pensar sobre coisas que não são realmente um problema em nossas vidas. Estas, normalmente são sobre o clima, futebol, política, ou algum assunto que não esta diretamente relacionado a nossas vidas. E existem aquelas reclamações reais e conscientes. Aquelas que são sobre problemas que realmente estamos enfrentando. Ambas são chatas, desagradáveis e de alguma forma atrapalham a sua vida. Porém, requerem atenções diferentes.

Para o primeiro tipo, é apenas uma questão de costume. Procure identificar as situações em que mais tem feito reclamações assim e tente trocá-las por comentários produtivos. Tente pensar pelo lado positivo. Ao invés de dizer “Que calor insuportável.” diga “Que dia maravilhoso! Bom para uma piscina. Que eu não poderia usar porque tenho que trabalhar, de terno, nesse inferno”. Pode ter certeza que tanto com seus amigos e familiares quanto no seu trabalho você será melhor visto. As pessoas terão mais boa vontade para te ouvir. Ao invés de pensar “Lá vem o chato que só reclama de tudo” pensarão “Chegou aquele que sempre anima o meu dia”. É! Não é para tanto, mas vocês entenderam a essência.

Já o segundo tipo na minha opinião é o mais crítico. Além de te tornar uma companhia desagradável e acabar com o humor de quem esta a sua volta. Reclamar acaba sendo um consolo para seus problemas. Te travando de ir em busca de soluções.

Reclamar, muitas vezes, é nada mais do que uma válvula de escape, algo que você usa para aliviar um pouco a tensão daquele problema. Algumas pessoas utilizam amigos, outras optam por familiares, umas preferem escrever em um diário e há quem poste em alguma rede social.

Fato é que constantemente precisamos extravasar algum problema para nos sentirmos melhores. Porém, inconscientemente, estamos utilizando isso para postergar a solução dele. Estamos usando o artifício: reclamar é melhor que agir.

Pense nas suas últimas reclamações, nos problemas que tem afetado sua vida. Quais deles realmente não possui solução? Quantos estão afetando a sua vida há tempos sem que você faça absolutamente nada para mudá-los? É ai que mora o erro. Acabamos nos tornando vitrolas velhas que repetem sempre as mesmas reclamações. Viramos aquela pessoa que você encontra apenas de seis em seis meses e mas escuta sempre as mesmas lamentações. Isso não é vida, meu jovem!

Reclamações vs Frugalidade

Quando estamos desmotivados ou achamos que temos problemas demais, costumamos procurar por uma válvula de escape. E uma das mais perigosas é o consumo. Aquele prazer de comprar uma roupa nova ou algo que estava cobiçando a muito tempo, é o suficiente para resolver temporariamente qualquer problema. Mas é temporário, e em um ou dois dias você estará com duas coisas para resolver. O problema que já tinha e uma conta que adquiriu sem planejar.

Não desconte suas frustrações no seu bolso. Pois é ele que no futuro poderá te livrar de boa parte delas. 😉

Bora mudar isso

A partir de hoje, você não reclama mais. De nada! Se esta quente, está ótimo. Se esta frio, melhor ainda. Se esta chovendo, bora dançar na chuva! Faça o possível para viver uma vida mais leve e ser uma cia mais agradável para quem está a sua volta. Eu nunca me considerei um “reclamão” mas, de uns tempos para cá, estas pessoas tem me incomodado tanto que comecei a rever minhas atitudes e comentários.

No início é difícil, pois é algo que fazemos sem pensar. Mas aos poucos vamos mapeando e entendend

o nossas reclamações diárias.

Uma coisa que costuma ajudar é ouvir as queixas e reclamações de outras pessoas. Escute desabafos, veja histórias de pessoas que estão passando por alguma dificuldade. Aos poucos você vai entender que os problemas da sua vida não são diferentes dos problemas da vida de ninguém e, melhor que isso, possuem solução!

Outra boa maneira de desviar o foco dos problemas e distrair/relaxar é aproveitando algum hobby. Como havia dito neste texto, ter um hobby te proporciona prazer, distração e, além disso, tem o poder de freqüentemente te desligar do mundo.

No final do dia, quando deitar a cabeça no travesseiro e começar a pensar em tudo que precisa resolver, canalize suas energias. Pense em tudo que você tem reclamado e aos poucos condicione seu cérebro a pensar em soluções ao invés de problemas.

Nenhum problema é tão grande que não possa ser resolvido.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Isabella Batista Jardim says:

    Adorei o texto, com certeza vou rever algumas atitudes e tentar colocar este estilo de vida em prática ; )

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *