Netflix como mestre da frugalidade

Em outro texto falei sobre a futilidade da TV a cabo e a possibilidade frugal de troca-lá por uma assinatura do Netflix, uma antena digital e ao uso do You Tube. Para os que aceitaram a minha sugestão, vou deixar aqui uma lista de filmes e documentários que nos ensinam um pouco sobre vida frugal. Os que ainda não cancelaram tenho certeza que já estão considerando a possibilidade 😉

Vou deixar ordenado de acordo com a minha preferência!

 

  1. Na Natureza Selvagem – Into the Wild

 

intothewild

Foto do verdadeiro Christopher McCandless

Filme obrigatório para todos que se interessam pela vida frugal ou que as vezes tem vontade de largar tudo para cair no mundão o/

O filme é um drama bibliográfico do americano Christopher McCandless que depois de se graduar, não viu sentido na vida que o esperava e com apenas 22 anos largou tudo para uma viagem rumo ao deserto do Alaska. O filme é sensacional e ainda conta com uma trilha sonora mais sensacional ainda criada e cantada por Eddie Vedder do Pearl Jam!

 

  1. Maidentrip

 

maidentrip-trailer-01

Laura Dekker em seus momentos de reflexão

É um documentário sobre a história holandesa Laura Dekker que com apenas 16 anos deu a volta ao mundo sozinha em um veleiro, batendo o recorde de pessoa mais jovem a realizar essa façanha. As filmagens da viagem foram todas feitas pela própria Laura, o que da um charme a mais ao documentário, que ainda conta com imagens e reflexões sobre a sua infância. Vale a pena demás!

 

  1. Living one dollar
l1-dollar

Cena de como cozinhavam durante a experiência

O documentário conta a história de dois estudantes de economia, Zach Ingrasci e Chris Temple,  que partiram para uma temporada de 56 dias na aldeia de Pena Blanca, na Guatemala onde se juntaram com Sean Leonard e Ryan Christoffersen para filmar e documentar a experiência de viver com apenas um dólar por dia (com a cotação atual isso da, hmm, uns 38 reais?). O objetivo não era apenas fazer um mochilão diferente ou viver uma aventura, era mostrar para o mundo a situação em que vivem 1,1 bilhões de pessoas ao redor do globo (Isso mesmo! É muita gente vivendo com um dólar por dia!). Eu particularmente chamaria essas pessoas de mestres da frugalidade nível hard.

 

  1. Diario de Motocicleta

 

diarios-de-motocicleta

Cena do filme Diários de Motocicleta

A produção é sobre a viagem e livro de memórias escrito por Ernesto Guevara de 23 anos de idade, que mais tarde se tornaria conhecido internacionalmente como o icônico comandante guerrilheiro marxista e revolucionário Che Guevara. O filme narra a expedição de 1952, inicialmente por moto, em toda a América do Sul por Guevara e seu amigo Alberto Granado. Através dos personagens que eles encontram em sua jornada continental, Guevara e Granado testemunham em primeira mão pessoas e classes sociais que eles nunca teriam encontrado de outra forma. Para sua surpresa, a estrada apresenta-lhes tanto uma imagem verdadeira e cativante da identidade latino-americana.

 

  1. Transpatagonia

 

DSC01224 (800x450)

Guilherme Cavallari em uma das paisagens da Patagônia

O jornalista Guilherme Cavallari as vésperas de completar 50 anos decide partir para uma expedição com o objetivo de cruzar toda a Patagônia sozinho, ou melhor, com sua bicicleta! O documentário todo filmado por ele mostra o caminho em busca do auto conhecimento e a busca da real felicidade, mesmo em ambientes extremos, passando fome e dormindo em ambientes desconfortáveis ele consegue retratar a beleza e a alegria de viver estes momentos, longe de todos os paradigmas da sociedade.

O documentário é a tradução literal da citação de Amyr Klink:

 “Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é, que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.

Você pode gostar...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *